É uma das ceramistas pioneira da cidade de Tracunhaém, nasceu em 1924, começou a trabalhar com barro entre 8 e 10 anos; influenciada por seu pai, o Mestre Didi. Dona Maria manuseia o barro com criatividade e simplicidade, expressando seu talento e um estilo próprio. Recebeu em 2011 o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, outorgada pelo Governo do Estado e é a Artesã mais velha em atividade do Estado de Pernambuco.

As obras de arte popular são desenvolvidas por artistas de forma manual. Podem conter diferenças de cor, imperfeições, ranhuras e assimetrias.